quarta-feira, 3 de março de 2010

Baixinha, dentuça e porradeira.

Em uma semana regada a terremotos, Curling e uma Porto Alegre sendo virada do avesso (com tiroteio na Redenção, assassinato de ex-vice-prefeito e uma bomba que mencionei ontem), eis que um dos assuntos mais falados na internet (depois do BBB, claro) é o texto de Dioclécio Luz intitulado "Violência na Turma da Mônica", onde o mestrando em Comunicação pela UnB explaina sua preocupação ao apontar uma suposta apologia à agressividade, perpetrada por Mônica e seu coelho Sansão.

Fora algumas fotos de Mônica Mattos, essa imagem é o mais próximo de
algo violento que consegui achar digitando
"Mônica violenta" no Google. É sério.


Depois de dar uma cutucada socialista bem desnecessária no início do texto (ao comparar a Maurício de Sousa Produções com a Disney, por serem ambas empresas privadas com fins lucrativos), Dioclécio discorre sobre as motivações de Mônica e sua mania de distribuir sopapos, tentando atribuir a violência da personagem à omissão de seus pais (por permitirem este comportamento, ou mesmo por alguma violência elíptica - física ou verbal - por parte deles). O que o autor do texto parece não saber (e não sabe, já que confessa que precisaria de uma pesquisa mais detalhada para abalisar o assunto) é que a Mônica não ameniza os ânimos com Cebolinha, Cascão e Cia. na conversa porque as coisas, há muito tempo, já passaram desse nível. Além disso, Mônica nunca utiliza de outra arma senão seu bichinho de pelúcia, ao contrário de Tom e Jerry, Pica-Pau, Papa-léguas e outros personagens de mídias muito mais diabólicas do que a banda desenhada, que usam de ferros de passar a machadinhas para nocaltearem seus adversários.

Uma coelhada com isso deve doer pacas, né não?

Além da violência, o jornalista também se atém a outros aspectos negativos dos demais personagens, taxando o medo de água do Cascão ou a fome eterna de Magali - por exemplo - de desvios de comportamento (ao passo que o problema de Mônica, segundo Dioclécio, seria um desvio de personalidade) e recriminando-os por não espelharem a realidade (o fato de Magali não engordar, por exemplo, sem levar em conta que se trata de uma obra de ficção).

Os desajustados: O quê???? O Cebolinha e a Mônica são da mesma altura??? #meumundocaiu

Para tentar embasar o argumento de que as histórias da Turma da Mônica agregam somente informações negativas para quem as lê, o jornalista as compara com espécimes como Calvin e Mafalda (dois personagens cujas histórias são notadamente voltados ao público adulto), chamando a atenção para a falta de personalidade dos personagens de Maurício de Sousa, ao passo que os personagens de Bill Watterson e do argentino Quino são pensadores, filósofos mirins.

Cuidado: essa turminha é um péssimo exemplo a ser seguido pelas crianças.

A cereja do chantilly vem no final do texto, quando Dioclécio aponta uma suposta idolatria nacional acerca da Turma da Mônica e compara-a com a "postura bélica americana" (os americanos têm a mania de pensarem que tudo que é deles é melhor, em geral eles estão certos). Para o mestrando, há uma condescendência por parte de imprensa e da crítica brasileira (não usou a palavra "conspiração" por detalhe) para proteger os interesses do diabólico Maurício de Sousa e suas criações (tá bom, ele não usou a palavra "diabólico", mas também foi por detalhe).

I'm singing in the rain...

O saldo foi extremamente positivo para Dioclécio Luz (que tem mais de 120 comentários no artigo, praticamente todos xingando-o), que segue a estratégia do "falem mal, mas falem de mim" com afinco. Positivo para o povo internético interessado em quadrinhos, que teve bastante assunto nesses últimos dez dias e se predispôs a, inclusive, replicar o jornalista (a Carta Aberta ao Sr. Dioclécio Luz, um dos melhores textos-réplica desta safra, você pode ler clicando aqui) e positivo - também - para Maurício de Sousa, que segue firme e forte no conforto do lar, ganhando seu rio de dinheiro de sempre (porra, Maurício) e mantendo seus personagens na crista da onda, um lugar sempre merecido pela Turma da Mônica.

2 comentários:

sapao318 disse...

ESSE PESSOAL ANDA COM TEMPO SOBRANDO...! a Monica taí a mais de 35 anos...e só agora aparece alguém pra relacionar ela e seu coelho com violência??? isso só pode ser uma coisa: falta do que fazer!!

finalmente usarei uma expressão que eu gosto: ESSE CARA TÁ PROCURANDO PÊLO EM OVO!..

eu falei hoje ainda...gibis são pra ler e guardar com carinho...na hora que começa a se procurar motivos e ideologias em um gibi, o negocio perde a graça!!

abração..belo post rapaz!!

Édnei Pedroso disse...

Pois é, rapaz. Esse textinho deu no que falar...

Mas o melhor disso tudo foi a criação do site "Porra, Maurício". Aquilo é muito engraçado.=P

Abração.